Você sabia que a baixa autoestima pode lhe fazer muito mau!

O fato de ter uma baixa autoestima pode ter um impacto negativo nas relações, na saúde psicológica e mesmo na vida profissional ou escolar.

A definição autoestima está ligada à opinião, aos sentimentos e aos pensamentos que todo o indivíduo tem sobre si. Ou seja, é a capacidade de nos amarmos e de nos respeitarmos, demonstrando o grau de satisfação que temos em relação a nós mesmos.

Os primeiros anos de vida são muito importantes para construir esta base de amor próprio que se desenvolve progressivamente a partir de experiências positivas ou negativas ao longo da vida.

As pessoas com baixa autoestima sofrem com problemas em várias áreas da vida. Entretanto, existem maneiras eficazes para melhorar essa situação e assim elevar a autoestima.

 

Quais são os sinais de uma autoestima baixa?

 

  • Falta de confiança em si mesmo.
  • Medo de mudanças.
  • Problemas em relacionamentos.
  • Incapacidade de se valorizar.
  • Pensamentos negativos sobre si mesmo.
  • Não conseguir demonstrar os próprios sentimentos.

Como melhorar a baixa autoestima?

Várias ações podem ser tomadas para melhorar a autoestima baixa e assim, conseguir ter uma imagem mais positiva de si mesmo. Veja algumas:

  • Tomar consciência de seu estado emocional, escutando a si mesmo.
  • Procurar uma auto compreensão e respostas para seus desejos.
  • Ser capaz de criar metas, sonhar, planejar e atingir os objetivos.
  • Afastar pensamentos negativos e críticos sobre si mesmo.
  • Cultivar pensamentos positivos.
  • Acreditar e confiar em si mesmo.

 

Na verdade, construir uma autoestima elevada é um desafio na vida de qualquer pessoa. Geralmente há uma tendência a nos percebermos de uma forma mais negativa do que realmente somos.

Alguns especialistas afirmam que as pessoas frequentemente apresentam baixa autoestima por se comparar aos outros. Isso costuma trazer sofrimento, pois tendemos a achar que o outro é melhor e mais bonito ou bem-sucedido do que nós.

O segredo é olhar para dentro de si e saber se amar e até mesmo se perdoar, se preciso, reconhecendo suas imperfeições e tentando melhorar, não para se parecer com o outro, mas para viver mais em harmonia consigo.

Construir uma autoestima elevada não se faz num toque de mágica: são desafios a serem enfrentados diariamente e que permitem dar um passo a frente ou mesmo retroceder em alguns momentos para poder chegar a um estágio de maior confiança em si.

Assim você poderá cultivar seu autoconhecimento, sabendo lidar melhor com suas próprias capacidades e limites.